MATÉRIAS/REVIEWS
 
  
 
11/04/2014
REVIEW - HQ: NOVOS X-MEN - E DE EXTINÇÃO
 
 
Novos X-Men - E de Extinção
 
 
 
 
 
 
 
 


Os X-Men são um dos grupos mais queridos da Casa das Ideias, se não o mais. Os leitores costumam se sentir atraídos pelo marcante conflito existente entre humanos e mutantes, que gera a paranoica perseguição mutante e, consequentemente, a retaliação por parte dos filhos do átomo, principalmente aqueles que formam a frente que defende a superioridade mutante e sua soberania em relação à humanidade.

Porém, estava se tornando tarefa cada vez mais difícil acompanhar as histórias dos pupilos do professor Charles Xavier desde o término da fase criativa da dupla Chris Claremont & Jim Lee. Até então, os títulos da linha X-Men careciam de criatividade, coesão e objetividade, o que resultava em histórias enfadonhas e confusas. Puro lenga-lenga com praticamente nenhuma atratividade a não ser a entrega de conteúdo irrelevante aos fãs mais ardorosos que não deixam de comprar suas revistas favoritas mesmo que a qualidade seja altamente questionável. A velha exploração da boa vontade do leitor.

Felizmente a Marvel constatou o problema e resolveu realizar mudanças drásticas no intuito de trazer de volta o brilho e o entusiasmo que permearam os títulos mutantes de outrora. Provavelmente isso tenha sido ocasionado por causa da queda nas vendas das revistas. Como a franquia passava por uma fase bastante popular em decorrência dos filmes de Bryan Singer, a editora resolveu aproveitar esse sucesso todo para repaginar sua equipe mutante. E para o cumprimento eficaz da tarefa, poucos seriam mais indicados do que o roteirista Grant Morrison.

O escocês redefiniu o que estava acontecendo com o X-Men. Trocou o colorido dos uniformes por tons mais sóbrios e próximos do cotidiano real, inseriu diversos elementos de ficção científica, reduziu a quantidade de protagonistas e deu uma boa repaginada neles ao introduzir mutações secundárias, como o corpo de diamante da Rainha Branca e a mudança de aspecto do Fera, por exemplo.

Neste arco, surge a personagem Cassandra Nova, a irmã gêmea do Professor X, uma bióloga que pretende liberar uma nova geração de Sentinelas bizarros para exterminar os mutantes de Genosha. Além disso, há indícios da possível morte de Magneto.

Este volume 23 da Coleção Graphic Novels Marvel da Salvat traz apenas o início da fase de Grant Morrison frente à equipe mutante, portanto, ainda com muita água para correr, e surgem muitas dúvidas em relação ao que o roteirista pretendia com suas histórias. Mas como o título já foi publicado no Brasil pela Panini, sabe-se que o resultado foi bastante elogiado pelos leitores, que puderam conferir uma nova fase cheia de criatividade, reviravoltas e novidades que trouxeram novo fôlego aos X-Men, não só no que concerne aos roteiros, mas também aos traços bastante distintos de Frank Quitely, que não foi o único a ilustrar esta fase de Morrison, mas que certamente foi o mais relevante.

Agora resta apenas a ansiedade pela continuação para aqueles que ainda não puderam acompanhar a fase de Morrison, Quitely & cia.

Novos X-Men - E de Extinção (Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel Vol. 23) - 112 páginas - formato 17 x 26 cm - R$ 29,90 - lançado em janeiro de 2014 – Editora Salvat do Brasil (coleção prevista para ter 60 volumes).

Veja também:
- Notícias diversas sobre os X-Men
- Outros reviews e matérias

  facebook


 


 

Seções
HQ Maniacs
Redes Sociais
HQ Maniacs - Todas as marcas e denominações comerciais apresentadas neste site são registradas e/ou de propriedade de seus respectivos titulares e estão sendo usadas somente para divulgação. :: HQ Maniacs - fundado em 19.08.2001 :: Brasil